Natália Correia



Como se um raio mordesse
meu corpo pêro rosado
e o namorado viesse
ou em vez do namorado


um novilho atravessasse
meus flancos de seda branca
e o trajecto me deixasse
uma açucena na anca


como se eu apenas fosse
o efeito de um feitiço
um astro me desse um couce
e eu não sofresse com isso


como se eu já existisse
antes do sol e da lua
e se a morte me despisse
eu não me sentisse nua


como se Deus cá em baixo
fosse um cigano moreno
como se Deus fosse macho
e as minhas coxas de feno


como se alguém dos espaços
me desse o nome de flor
ou me deixasse nos braços
este cordeiro de amor










*Laur@´s Poesias


Gostou desta Página?
Recomende para um Amigo!






|| Grandes Poetas Índice || Poesias dos Grandes Poetas ||



|| Menu Principal || Menu Principal das Poesias ||





Get a MIDI Plug-in


Webmaster & Design Iraima Bagni /Copyright © 1999 /*Laur@´s Poesias®.
Todos os direitos reservados.

Editada em:12/08/2001