ANTÓNIO ALEIXO

 

Quadras

É fácil a qualquer cão
Tirar cordeiros da relva.
Tirar a presa ao leão
É difícil nesta selva.

Eu não tenho vistas largas,
Nem grande sabedoria,
Mas dão-me as horas amargas
Lições de Filosofia.

Há luta por mil doutrinas.
Se querem que o mundo ande,
Façam das mil pequeninas
Uma só doutrina grande.

Quando os Homens se convençam
Que à força nada se faz,
Serão felizes os que pensam
Num mundo de amor e paz.

A arte em nós se revela
Sempre de forma diferente:
Cai no papel ou na tela
Conforme o artista sente.

Quem prende a água que corre
É por si próprio enganado;
O ribeirinho não morre,
Vai correr por outro lado.

Embora os meus olhos sejam
Os mais pequenos do mundo,
O que importa é que eles vejam
O que os Homens são no fundo.

Julgando um dever cumprir,
Sem descer no meu critério,
- Digo verdades a rir
Aos que me mentem a sério!

António Aleixo

(Quadras enviadas por Fauto Abreu)



 












*Laur@´s Poesias



Gostou desta Página?
Recomende para um Amigo!






|| Grandes Poetas Índice || Poesias dos Grandes Poetas ||



|| Menu Principal || Menu Principal das Poesias ||



 

Get a MIDI Plug-in


Webmaster & Design Iraima Bagni / Copyright © 1999 / *Laur@´s Poesias®.
Todos os direitos reservados.

 Editada em:23/07/2001