Gilberto Vaz de Melo



De repente me desperto na fria madrugada
e meus lábios, semi-adormecidos,
murmuram o seu nome...
Meu coração se assanha feito criança
E começamos a brincar de não querer dormir.
Meu corpo repousado na escura solidão...arde...
E minhas mãos, trêmulas de desejo,
Procuram em vão, lhe tocar.
Apenas "ecos" de sua doce voz
parecem vir por debaixo dos lençóis
me chamando de AMOR.
Abraço-me ao travesseiro e adormeço.
Adormeço sempre
para quietar esta louca saudade
Que pela manhã
Se encarrega de me acordar!!!


 
(Repasse com os devidos créditos)





Laur@´s Poesias

 
Voltar para Poesias 3




|| Home Page || Menu Principal || Menu das Poesias ||



Gostou desta Página?
Recomende para um Amigo!

CLIQUE NA IMAGEM PARA RECOMENDAR A PÁGINA!


Get a MIDI Plug-in


Revisão de Texto: IZA /Imagem : Webshots
Webmaster  Iraima Bagni/ Design Suzana Motta 
Copyright ©1999&2003 *Laur@´s Poesias® /Todos os direitos reservados.

Editada em: 11/01/2004