VENHA NOITE!


Angelo Sansivieri


Venha noite, venha cair e deixar
escorrer o orvalho da madrugada,
venha com seus perfumes de flores,
venha matar minha saudade.

Venha noite, empresta-me, a lua,
com todo o seu esplendor,
com todo o seu luar,
venha, mas venha nua,
venha com muita vontade de amar.

No toque e na luz,
noite de estrelas
venha serena,
com sua boca pequena,
venha e me seduz,
faça do meu infinito,
a noite do meu grito.

Venha derramar o vinho
nas bocas sedentas,
venha beber no cálice,
venha sentir o que te alimenta,
no conforto do meu ninho.

Ah, doce noite,
de magia estrelar,
abraça-me, com tuas caricias,
entregue-se, nos açoites,
faz de mim, um homem a delirar.

Venha noite,
venha com sua devastadora paixão,
quero fazer-te, feliz,
venha sentir o calor do meu coração,
venha amar como se fossemos aprendiz,
venha sentir a sensação
e a energia do meu toque.

Venha noite,
venha conhecer a vida de um errante,
na arte dos prazeres,
nos sonhos dourados das camas,
das horas e feneceres,
embriagando–se,
no doce perfume de quem ama,
venha noite, venha pra mim.


(Repasse com os devidos créditos)












Voltar para Poesias 2


|| Home Page || Menu Principal || Menu das Poesias ||




Envie esta Página para um Amigo(a)!
Clique na imagem abaixo.


Get a MIDI Plug-in





Revisão do texto: Iza /Imagem: WebShots/ Webmaster & Design by Iraima Bagni 
Copyright © 1999  / *Laur@´s Poesias® / Todos os direitos reservados
Editada em: 04/11/1999