Fátima Irene Pinto®


Vou imaginar que você não foi embora
Que posso lhe encontrar a qualquer instante a qualquer hora
E falar do meu amor incessantemente, 
Tal como eu fazia outrora ...

Quando as circunstâncias estiverem anuviadas
Eu não temerei, permanecerei forte e desembaraçada
Imaginando que, na paz da sua presença,
Eu ainda continuo protegida e amparada ...

Quando eu tiver que assumir riscos e encarar desafios
Eu os enfrentarei, como se enfrenta os rebojos dos rios
Porque vou acreditar que você ainda pilota o meu barco
Como o fez, por meses e meses a fio ...

Quando eu tiver que viajar
Pra perto, pra longe ou pra qualquer lugar
Manterei o coração aquecido quando em você eu pensar,
Imaginando que o seu amor irrestrito 
Irá me esperar de braços abertos, quando eu retornar ...

Quando eu olhar as vitrines e ver perfumes, lingeries charmosas,
Vestidos insinuantes que me deixam formosa,
Eu os comprarei e para você os usarei,
Imaginando que ainda posso lhe seduzir com os meus ardis de mulher fogosa
Só para ouvir você dizer que ainda me acha irreverente e gostosa ...

Quando eu passar naquela rua que testemunhou 
O nosso primeiro beijo e o nosso primeiro abraço,
Eu não chorarei... verá que tenho nervos de aço
Porque vou imaginar que você apenas se escondeu por um instante
Para aparecer sorrindo diante da minha aflição e do meu embaraço ...

Sim, 
Ficarei imaginando e fazendo de conta por tempo incalculado
Até que meu ser, encare sem enlouquecer, 
O seu afastamento inesperado
E aceite, por fim, a sua ausência
Apenas e tão somente como 
Um fato consumado !!!

(Repasse com os devidos créditos)

 













Voltar para Poesias 2


|| Home Page || Menu Principal || Menu das Poesias ||





Envie esta Página para um Amigo(a)!
Clique na imagem abaixo.



Get a MIDI Plug-in




 


Revisão de Texto: IZA/Sobreposição de Imagens: WebShots / Webmaster & Design Iraima Bagni
Copyright © 1999/ *Laur@´s Poesias®. Todos os direitos reservados.


Editada em:24/08/2001