VLAS®


Te escrevo, para tentar falar agora,
da ventura de tê-lo tido em minha vida
da realização de quem conheceu
e um grande amor viveu...


Te escrevo, para falar da dor
que me dilacera o peito agora,
por ver findar entre uma serra
o mais infinito amor, que o destino encerra!!!
Te distancias de mim
permitindo sem piedade
que tivesse logo um fim
nosso amor, nossa amizade...

Te escrevo de coração aberto
de saudade e dor repleto
face o amanhã incerto...
Mas com conhecimento vivido
de um amor que doravante deverá ser esquecido...

Te escrevo, para dizer nesta hora
com a gratidão mais sincera,
o quão feliz me fizeste outrora
e que viverei da terna quimera 
da lembrança mais singela
deste amor sem precedente
do doce encanto que tu foste!!!

Te escrevo, para falar agora
dos momentos de ventura
de toda aquela ternura
que entre nós dois havia...
Sim, fomos nós
em nossos momentos a sós...
Serei apenas metade de agora em diante,
um deserto seco e árido
onde o oásis morreu...
Em meu peito, já quase refeito
uma tumba quase eterna
sepultará para sempre e com tamanho zelo
todo amor que a ti pertenceu!
Por isto,
te escrevo agora,
como um ultimo apelo!!! 


(Repasse com os devidos créditos)









*Laur@´s Poesias


Voltar para Poesias 1



Envie esta Página para um Amigo(a)!
Clique na imagem abaixo.



Get a MIDI Plug-in




Créditos: Revisão de Texto: IZA/ Imagem: "Eolo Perfido"/ Webmaster & Design by Iraima Bagni
Copyright © 1999 *Laur@´s Poesias®./ Todos os direitos reservados.
Página editada em: 11/03/2001