Pingo



Sentimentos do Passado

Ana Lúcia Travassos Bandeira



Estou cética em acreditar
Que estou o que fui.
Não! que não sou como estava.

O jogo deste tempo
Não é como cada estação do ano,
Onde o tempo garante seu retorno.

O calor não voltou,
O frio é intenso.
Onde deixei meu agasalho?
Que chuva forte, tão linda!...

Mas só posso vê-la através da janela...
Como uma lembrança remota,
Igualmente forte e linda.

Por que a chuva não é você?
Eu abriria a janela,
E deixaria que ela penetrasse na casa,
Banhasse móveis e paredes,
Lavasse minha saudade.
E molhasse meu corpo,
Pouco a pouco.

E meus braços abraçariam cada pingo,
Como se ele fosse um pouco de você,
Voltando aos poucos...

(Repasse com os devidos créditos) 
 

 








 

*Laur@´s Poesias


Voltar para Poesias 1

 

 Gostou desta página?
Recomende para um Amigo(a)


Get a MIDI Plug-in



Webmaster & Design by Iraima Bagni / Copyright © 2000 *Laur@´s Poesias®.
Todos os direitos reservados.
Página editada em: 11/02/2001