A caminhada parecia não ter fim
Seguia por estreitas passagens
Por estreitas ruelas
Já começava a ouvir o som das águas

Exausta...
Dobrou mais uma esquina
À sua frente
Como uma grande esmeralda 
O rio brilhava

Ao ouvir passos
Tentou se virar
Mas o golpe
Em sua cabeça  veio antes...
O mundo explodiu
Em milhares de diamantes

Como o som de um trem
O enjôo e a tonteira
Que a atormentavam foram passando

Um pouco de cor
Voltou ao seu rosto
E os calafrios diminuíram

Como lentos ecos
O medo e a preocupação
Começaram a se desfazer

Mas uma vez sonhara...

Mais uma vez
Sonhara com aquele rosto

O rosto de alguém perdido...

De alguém perdido
Do resto das pessoas

(Música "Lentos Ecos" do CD Sons Noturnos de uma Cidade Vazia)
(Gerson Grünblatt)










*Laur@´s Poesias

Voltar para Poesias 1

 

Gostou desta página?
Recomende para um Amigo(a)


Get a MIDI Plug-in


Créditos: Imagem: Webshots
Webmaster & Design by Iraima Bagni
 Copyright © 1999 *Laur@´s Poesias®./ Todos os direitos reservados.
Página editada em: 04/11/2000