Sorry, your browser doesn't support Java(tm).

E lá estava eu,
buscando, amando, sonhando....

E lá estava eu,
acreditando ser o bastante,
ser amante,
a amiga..
a prioridade.

E lá estava eu,
acreditando em culpas,
acreditando que o amor vence tudo,
que ele brilha como o sol,
lindo, inatingível..

E lá estava eu,
colecionando lucros,
controlando desamor,
encobrindo intenções outras..

E lá estava eu,
tentando reerguer o relacionamento,
acreditando que o sentir fosse redimensioná-lo...

Estava então,
Investindo de forma errada,
Em um mercado impróprio,
Numa administração falha..

Estava então, 
no exercício pleno de minha profissão,
de fato e de direito,
humana, mulher, fêmea e profissional.
Convenci-me que no amor não há diplomas,
grau de instrução...
Apenas existe,
causa dor e emoção..

Estava então,
Cega de amor,
Cega de querer,
Cega de mim,
deixando tudo caminhar para entropia...

Entropia de minha auto-estima,
do que eu merecia...
Querendo receber como eu dava,
Querendo me contentar com o que eu tinha,
mascarando, tentando...
querendo ser plenamente amada..

Estava então, 
sonhando,
dando-me,
amando,
amante ,
amiga,
projetando,
de forma errada....
Enganada com o amor.

Estava eu então,
No pensamento perdido, buscando os porquês,
Parei.,. Chorei, fiz-me triste,
Em luto interior entrei..
Faixa preta no coração,
curativo nesse meu amigo fiz..
Estanquei o sangue,
Fiz analgesia ...
Não deixei de viver um só momento do momento,
Fui humana, cheia de sentimentos,
sofri sim,
doeu sim,
Senti falta das mãos percorrendo meu corpo,
prazer, 
palavras,
sussurros, voz,
saudades.
atravessei cada etapa de tudo...

Parei uma outra vez!
Entrei em concordata existencial,
antes que falisse a mim mesma..
Comecei então,
A fazer um balanço de tudo,
Perdas e lucros acumulados,
Vi-me de repente,
ativos e passivos do amar.
Como um grande empreendimento...
Tudo voltará ao normal,
Continuarei investindo,
Estudarei com mais precaução o mercado,
E continuarei inteira,
voltando ao todo existencial..
Somente parei...
Despertei!
Para ser melhor no momento seguinte,
Reconhecendo os meus defeitos,
os meus medos,
O mau emprego de recursos,
para mim e para os outros..

Concordata não é falência, pensei!
É a busca,
A avaliação,
Os ajustes!
Então a determinei!

Jane Lagares

(Repasse com os devidos créditos)









*Laur@´s Poesias


Voltar para Poesias 1





Envie esta Página para um Amigo(a)!
Clique na imagem abaixo.




Get a MIDI Plug-in


*****************************


Créditos: Imagem Boris © / Webmaster & Design by Iraima Bagni 
Copyright © 1999 *Laur@´s Poesias®./ Todos os direitos reservados.

Editada em: 12/02/2001