Machado de Carlos®



Para clarear a solidão, vieste do nada 
- Por que dei-te guarida, se tu não existes? 
No entanto, encantaste as horas tristes; 
Quando mais preciso de ti, tua voz se cala. 

Pesquiso o álbum mental, tudo o que eu liste; 
Examino ambientes mil, ala por ala; 
De espírito vulnerável, caído em vala 
Não consigo ver-te, por mais que insistes. 

Tua presença virtual... enleaste minha mente... 
Alienado, febril, temperatura quente. 
- Por que foges de mim, nestas horas tais? 

Virose informática... caos... Ah! ...cabeça!... 
Anjo? Que anjo?... Estás aqui - Permaneça. 
- Quando verei teu rosto, nos meus portais? 

(Repasse com os devidos créditos)

  










*Laur@´s Poesias





Voltar para Poesias 1



 

Gostou desta página?
Recomende para um Amigo(a)



Get a MIDI Plug-in

 


Imagem Autorizada Doug Lester Photography by Doug Lester/
Webmaster & Design Iraima Bagni
Copyright © 1999/*Laur@´s Poesias®./Todos os direitos reservados.


Página editada em:24/08/2001