Luis Lêdo Motta Mello



Se pela honra a lei não atrapalha

a divisão de seu teor completo,

Constituição, jamais falou em afeto,

por que o gume vai querer a malha? ... (...)



Por que cegar o fio da navalha

se a classe nasce quando nasce o feto?

Uns têm mansões. Outros, nem um teto.

Faustos banquetes. Outros, sem migalha...



E ainda ouvir mentiras nos comícios

nas mesmas proporções, nos mesmos vícios

que afagam a insanidade popular (...)



se não bastasse a diferença inculta

tira o Título Eleitoral e avulta

a obrigatoriedade nula de votar.

(Repasse com os devidos créditos)

 



:| Home |:| Poesias da Lêda |:| Poesias de Luis Lêdo |:|



Envie esta Página para um Amigo(a)!
Clique na imagem abaixo.
CLIQUE PARA RECOMENDAR ESTA PÁGINA!




Get a MIDI Plug-in

Sobreposição de Imagens: Webshots

|:| Poeta Parceiro |:|
 


Página editada em:23/11/2002