CONFISSÃO A UM PAI
Walter Pereira Pimentel
 


Pai! Tanta coisa a te dizer mas por onde começar, não sei!
Tanto fizeste pra que me tornasse alguém, um ser maduro,
Levaste uma vida mostrando-me os caminhos mais seguros
E hoje, cheio de arrependimento, confesso: Fracassei!

Aos teus veementes apelos fiz ouvido de mercador
Deixando-me seduzir pela tentação da droga
Que agora me consome e me afoga
No mar do nada...da desilusão...da dor...

Sofres por minha culpa, vejo isso nas rugas do teu rosto
Perdoa-me pois pai, por tantos e tantos desgostos,
Transformei a tua vida num verdadeiro tormento!

Apesar de tudo, nos teus atos e gestos para comigo,
Continuo a ver a face daquele pai extremado e amigo
Que se transfigura ante o peso da cruz do meu sofrimento.


 (Repasse com os devidos créditos)


Alerta! 
DIGA  NÃO AS DROGAS!!!!

A vida pode ser áspera para algumas pessoas.
Até mesmo para uma bonita menina na  Cidade de Nova Iorque.
A realidade, a aspereza da vida às vezes pode ser documentada (
1983/1997) visualmente  em alguns  registro de apreensão criminal. 

Veja foto original no site 
http://janetreno.rotten.com/spiral/

 







*Laur@´s Poesias


Datas Especiais



|| Home Page || Menu Principal || Menu das Poesias ||





Envie esta Página para um Amigo(a)!
Clique na imagem abaixo.


Get a MIDI Plug-in

 


Revisão de Texto: IZA /Imagem: WebShots
Webmaster & Design Iraima Bagni/Copyright © 1999 &2001 *Laur@´s Poesias®.Todos os direitos reservados.

 

Página editada em: 08/08/2001